terça-feira, 1 de abril de 2014

FLORA NORDESTINA: TIMBAÚBA


Nome científico:Enterolobium contorstisiliquum (Vell.) Morong
Família: Leguminosae-Mimosoideae
Utilização: madeira utilizada para fabricação de pequenos barcos e canoas, compensados e caixas.
Coleta de sementes: diretamente da árvore
Época de coleta de sementes: abril a agosto
Fruto: preto, seco indeiscente, com forma de orelha ou rim, contendo várias sementes por frutos, possuindo 8 cm de comprimento.
Flor: branca
Crescimento da muda: rápido
Plantio: mata ciliar, área aberta, solo degradado.
Observação: as sementes desta espécie necessitam de quebra de dormência em água fervente.
 

"Timbaúba" é derivado do termo tupi timbo'ïwa, que significa "árvore da espuma". É uma referência à Stryphnodendron guianense, uma árvore da família das leguminosas, também conhecida como Timbaúva.
Árvore de grande porte, caducifólia, caracterizada por fuste curto e grosso, com ramificações abundantes formando copa ampla de formato semigloboso a guarda-chuva. A casca de cor parda - acinzentada apresenta-se lisa em indivíduos jovens, com o avanço da idade se torna fissurada.


As folhas são compostas, bipinadas, alternas com 3 – 7 pares de pinas opostas, pecíolo glabro com uma glândula arredonda que se encontra na primeira inserção do primeiro par de folíolos. As pinas com 5 – 10 cm de comprimento, reúnem de 8 a 21 pares de folíolos opostos de formato assemelhando-se a uma foice, de 0,5 – 1,5 cm de comprimento por 2 – 5 mm, de cor verde -escuro.
As flores são brancas com os cálices esverdeados, sendo essas de pequena dimensão entorno de 0,8 – 1,2 cm de comprimento por 2 – 5 mm, reunidas em capítulos, compondo racemos axilares. Floração ocorre a partir de meados de outubro até início de dezembro.


Os frutos são lenhosos, achatados, de formato que lembra uma orelha, de cor preta, que medem de 5 – 9 cm de diâmetro. A maturação dos frutos verifica-se de maio a julho. As sementes são duras, lisas, de cor marrom claro, medindo 1 – 1,3 cm.
Fotos e texto: Scipioni, M.C.


É uma árvore de crescimento rápido que fornece boa sombra na primavera e verão e perde suas folhas no inverno, deixando a luz do sol passar. Desta forma ela é bastante apropriada para arborização de regiões com estações bem marcadas. A Timbaúva pode medir de 20 a 35 metros de altura e de 80 a 160 de diâmetros de tronco.
Essa espécie deve ser cultivada sob pleno sol, em solo fértil, preferencialmente úmido e irrigado no primeiro ano de implantação. Multiplica-se por sementes. Elas devem ser semeadas em saquinhos preparados com solo adubado. Após quatro meses em viveiro, sob meia-sombra as mudas já podem ser plantadas no local definitivo. 
 
A madeira é mole, esponjosa, boa para confecção de caixotes, gamelas e cochos. Suas raízes longas e grossas servem para jangadas. O fruto é amargo e tem bastante saponina, por isso as pessoas utilizam o mesmo como sabão. O fruto também é forrageiro assim como as folhas secas. A sua propagação é feita através das sementes. Enterolobium contortisiliquum é encontrada nos biomas de Caatingas, Mata Atlântica e Campos gerais e ocorre na zona climática agreste. Sua distribuição geográfica estende-se do Pará ao Uruguai e Argentina. Essa espécie foi registrada no território dos seguintes estados brasileiros: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins.
 


Essa arvore dá nome a cidade de Timbaúba em Pernanbuco e à Timbaúba dos Batistas no Rio Grande do Norte.



Fontes:
ufsm.br/ seresvivosdorn.blogspot.com/ apremavi.org.br/ Wikipédia.
Fotos: Gardeniaoliveira

Um comentário: